PEMBA NA UMBANDA

A Pemba (giz de calcário em forma cônico-arredondada) é uma ferramenta indispensável nos rituais de Umbanda (e nos cultos afro-brasileiros em geral). Sua função é grafar os Pontos Riscados dos Orixás e Entidades, no intuito de circundar e proteger aquele local para a realização de uma sessão ou ritual.Em alguns casos, a própria Entidade raspa a pemba, para extrair seu pó e utilizá-la como próprio material de magia.

A pemba quando cruzada por uma Entidade, se torna uma poderosa ferramenta de atração energética. Quando Um Orixá ou Guardião risca seu ponto, forma um elo com o plano espiritual, como um ponto de concentração que vem do minério utilizado para riscá-lo (pemba) e a grafia , que pode ser feita no chão ou na madeira.
Este termo também corresponde à Lei Maior, lembrando que os trabalhadores da Umbanda são chamados ‘filhos de pemba’.
A cor varia de acordo com a própria Entidade e fundamento de cada casa, sendo em geral branca, mas também utilizada nas cores verde (caboclos), vermelha (exú e pombagiras), marrom (preto velho), amarelo (Oxum) e assim por diante.
O mais importanet é ter responsabilidade para manusear este material, e respeitar que, de fato, apenas a própria Entidade pode utilizá-la, salvo sob autorização.
É obrigação de cada membro de um terreiro ter consciência da força cedida por esta ferramenta, que com toda certeza é parte indispensável de qualquer cerimônia ritualística.
HISTÓRIA DA PEMBA
Maria Pemba era o nome de uma gentil filha do Soba Li-u-Thab. Poderoso dono de grande região e exercendo a sua autoridade sobre um grande número de tribos. Maria Pemba estava destinada a ser conservada virgem para ser oferecida às divindades da tribo, acontece porém que um audaz jovem estrangeiro, conseguiu penetrar nos sertões da África, e enamorou-se perdidamente de Maria Pemba e ela por sua vez, correspondeu fervorosamente a este amor e durante algum tempo gozaram as delícias que estão reservadas aos que se amam.
Porém, não há bem que sempre dure, e o Soba poderoso foi sabedor deste amor e então, numa noite de Luar mandou degolar o jovem estrangeiro e também que lançassem o seu corpo no Rio Sagrado U SIL, para que os crocodilos o devorassem.
Não se pode descrever o desespero de Maria Pemba, que como prova da sua dor esfregava todas as manhãs o seu corpo e rosto com o pó extraído dos Montes Brancos Kabanda e à noite, para que seu pai não soubesse dessa sua demonstração de pesar pela morte de seu amante, lavava-se nas margens do rio divino. Assim fez durante algum tempo, porém, um dia as pessoas de sua tribo que sabiam desta paixão e que assistiam ao seu banho, viram com assombro que ela se elevava no espaço ficando em seu lugar uma grande quantidade de massa branca lembrando um tubo.
Apavorados, correram a contar ao Soba o que viram, e este, desesperado quis mandar degolar todos, porém, como eles tinham passado o pó deixado por ela no rio, nas suas mãos e corpo, notaram que a cólera do Soba se esvaía tornando-se bom, e não castigando os seus servos.
Começou a correr a fama das qualidades milagrosas da massa deixada por Maria Pemba e, com o nome simples de Pemba, esta atravessou muitas gerações, chegando até aos nossos dias, prestando grandes benefícios àqueles que dela se têm utilizado.
Visite meus blogs > http://aruandadeumbanda.blogspot.com.br/
http://toquesdeorixa.blogspot.com.br/

PEMBA NA UMBANDA A Pemba (giz de calcário em forma cônico-arredondada) é uma ferramenta indispensável nos rituais de Umbanda (e nos cultos afro-brasileiros em geral). Sua função é grafar os Pontos Riscados dos Orixás e Entidades, no intuito de circundar e proteger aquele local para a realização de uma sessão ou ritual.Em alguns casos, a própria Entidade raspa a pemba, para extrair seu pó e utilizá-la como próprio material de magia. A pemba quando cruzada por uma Entidade, se torna uma poderosa ferramenta de atração energética. Quando Um Orixá ou Guardião risca seu ponto, forma um elo com o plano espiritual, como um ponto de concentração que vem do minério utilizado para riscá-lo (pemba) e a grafia , que pode ser feita no chão ou na madeira. Este termo também corresponde à Lei Maior, lembrando que os trabalhadores da Umbanda são chamados 'filhos de pemba'. A cor varia de acordo com a própria Entidade e fundamento de cada casa, sendo em geral branca, mas também utilizada nas cores verde (caboclos), vermelha (exú e pombagiras), marrom (preto velho), amarelo (Oxum) e assim por diante. O mais importanet é ter responsabilidade para manusear este material, e respeitar que, de fato, apenas a própria Entidade pode utilizá-la, salvo sob autorização. É obrigação de cada membro de um terreiro ter consciência da força cedida por esta ferramenta, que com toda certeza é parte indispensável de qualquer cerimônia ritualística. HISTÓRIA DA PEMBA Maria Pemba era o nome de uma gentil filha do Soba Li-u-Thab. Poderoso dono de grande região e exercendo a sua autoridade sobre um grande número de tribos. Maria Pemba estava destinada a ser conservada virgem para ser oferecida às divindades da tribo, acontece porém que um audaz jovem estrangeiro, conseguiu penetrar nos sertões da África, e enamorou-se perdidamente de Maria Pemba e ela por sua vez, correspondeu fervorosamente a este amor e durante algum tempo gozaram as delícias que estão reservadas aos que se amam. Porém, não há bem que sempre dure, e o Soba poderoso foi sabedor deste amor e então, numa noite de Luar mandou degolar o jovem estrangeiro e também que lançassem o seu corpo no Rio Sagrado U SIL, para que os crocodilos o devorassem. Não se pode descrever o desespero de Maria Pemba, que como prova da sua dor esfregava todas as manhãs o seu corpo e rosto com o pó extraído dos Montes Brancos Kabanda e à noite, para que seu pai não soubesse dessa sua demonstração de pesar pela morte de seu amante, lavava-se nas margens do rio divino. Assim fez durante algum tempo, porém, um dia as pessoas de sua tribo que sabiam desta paixão e que assistiam ao seu banho, viram com assombro que ela se elevava no espaço ficando em seu lugar uma grande quantidade de massa branca lembrando um tubo. Apavorados, correram a contar ao Soba o que viram, e este, desesperado quis mandar degolar todos, porém, como eles tinham passado o pó deixado por ela no rio, nas suas mãos e corpo, notaram que a cólera do Soba se esvaía tornando-se bom, e não castigando os seus servos. Começou a correr a fama das qualidades milagrosas da massa deixada por Maria Pemba e, com o nome simples de Pemba, esta atravessou muitas gerações, chegando até aos nossos dias, prestando grandes benefícios àqueles que dela se têm utilizado. Visite meus blogs > http://aruandadeumbanda.blogspot.com.br/ http://toquesdeorixa.blogspot.com.br/

Anúncios
Publicado em: Sem categoria

Um comentário sobre “PEMBA NA UMBANDA

Comente se for um comentário instrutivo ...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s