TIPOS DE MEDIUNIDADE

TIPOS DE MEDIUNIDADE
Posted: 10 Jul 2014 04:22 PM PDT
Infelizmente por falta de incentivos dentro da Umbanda perdemos milhares de médiuns para a vaidade e mistificação. Isso acontece simplesmente por falta de estudos aplicados ao desenvolvimento dentro da Umbanda. A grande maioria dos Pais (Mães) no Santo servem para seus médiuns o básico feijão com arroz, onde o médium tem somente acesso a técnicas precárias de incorporação. O que muitas vezes provoca a mistificação, isso pq o médium tem outra missão mais o Pai ou Mãe no Santo não tem o conhecimento necessário e ao vê todos inclusive médiuns mais novos já estarem incorporando estes começam a “fingir” uma incorporação para responder as dúvidas e fal-fal dos outros médiuns.

Observando resolvi apresenta algumas formas de mediunidade dentro da Umbanda.

MÉDIUM VIDENTE – É um médium muito útil e raro nos trabalhos, pois serve para ver os espíritos que vibram nos mesmos. Os médiuns videntes descobrem a verdadeira identidade dos espíritos manifestados e verificam se está havendo mistificação. Pode haver a vidência no ambiente, no espaço ou à distância, no tempo, ou seja, fatos a ocorrer ou já ocorridos em outros tempos. A vidência normalmente se manifesta na infância, estendendo-se até a maturidade, quando a mesma, na maioria dos casos desaparece, somente voltando quando o médium inicia seu desenvolvimento. Na Umbanda a videncia se manifesta através dos olhos ou simplesmente intuiva e pode ser dividida com outros médiuns vidente sendo assim comprovado que aqueles médiuns que vêem através dos olhos tem as mesmas caractericas do relatos do médium vidente intuitivo.

MÉDIUM OLFATIVO – É o médium que tem a faculdade de sentir a aproximação das Entidades, através do olfato. Este é chamado médium olfativo receptor. E tbm temos o médium olfativo transmissor, que ao receber Guias são capazes de emitir “cheiros” que irá caracterizar cada entidade que recebe.

MÉDIUM AUDITIVO – A forma mais comum desta faculdade é a Telepatia (transmissão direta de pensamentos, emoções ou impressões). É uma forma não sensorial relativa ao cérebro ou a parte dele chamado sensório, sensações, próprio para transmitir sensações, comunicação entre duas ou mais pessoas. O médium ouve sons, ruídos, e comunicados etc…

MÉDIUM DE DESDOBRAMENTO – É aquele que possui a faculdade de aparecer ao mesmo tempo em dois lugares diferentes, quer durante o sono quer em atividade normal, podendo ocorrer por ocasião de emoções violentas, agonia de morte, doenças graves ou espontaneamente através de materialização da alma.

MÉDIUM DE TRANSPORTE – É aquele que possui a faculdade de através da concentração, transportar-se a outro lugar, isto é, em transe, sua alma se afasta do corpo e vai a lugares distantes, mas não se materializam como os médiuns de desdobramento, permanecendo invisível para os demais.

MÉDIUM DE INCORPORAÇÃO – É aquele em que o espírito, o Guia, O Protetor, ou qualquer outra Entidade se manifesta através da incorporação. A incorporação (Entidade incorporante) dá lugar ao espírito comunicante. É a forma mais útil, permitindo-nos o entendimento direto e pessoal com as Entidades, possibilitando-nos o esclarecimento espiritual;

MÉDIUM DE INCORPORAÇÃO CONSCIENTE – O médium consciente que não foi instruído e preparado passa por dilemas e por vezes dúvida se é ou não um manifesto da Entidade. Essa dúvida ocorre porque mesmo o médium “tomado” pela Entidade, sente, ouve e vê e domina quase todas ou quase todas as reações físicas. Não sabe, no entanto, que a mediunidade de incorporação consciente nada tem a ver com a parte sensorial ou motora e sim com a parte mental intuitiva. Uma vez que desconhece a interferência direta exterior de uma força inteligente, que age sobre a sua aura, transferindo vitalidade para a aura da pessoa “carregada”, acredita, que é a sua própria vontade;

MÉDIUM DE INCORPORAÇÃO SEMI-CONSCIENTE – É o médium cuja inconsciência não é total, porém é dominado em suas partes sensoriais e motoras, ou seja, a entidade incorporante consegue dominar seu corpo físico assim como envolver ou frenar todo o seu sistema nervoso ou neuro-sensorial e faz uma espécie de ligação com o psiquismo. Assim como que em passividade, deixando que a comunicação da Entidade incorporante se processe firmemente (na maioria das vezes, não consegue interferir), sente que seus órgãos, naquela ocasião ou transe, não são mais seus.
Dá-se com o médium semi-inconsciente uma espécie de afastamento forçado de sua vontade, de uma ação ou força de interferir na atuação ou na comunicação da Entidade incorporante. Quando o médium é bem equilibrado acontece quase sempre um fenômeno curioso com ele. Durante a ocasião em que se processou a incorporação, sabe de tudo o que se passou (ou passa com ele ou em torno dele), ou guarda ligeiras recordações, ou acontece mesmo de esquecer ou ainda lhe é difícil reter corretamente na memória as comunicações faladas ou cantadas (na Umbanda). Guarda apenas na memória, por vezes, o sentido ou impressões boas ou más causadas por ela (a comunicação) ou pelo espírito incorporante sobre as outras pessoas. Mas isso acontece quando o médium tem de facto e de direito o dom da mecânica de incorporação;

MÉDIUM DE INCORPORAÇÃO INCONSCIENTE – Sem consciência ou com desconhecimento do alcance moral do que praticou. Parte de nossa vida psíquica da qual não temos consciência. É muito comum o médium reclamar deste tipo. Após a incorporação o médium “dorme”, acordando após a desincorporação sem noção de tempo e do que se passou com ele.

DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO – A força mediúnica aumenta quanto mais ela for empregada no campo da CARIDADE. Para isso deve haver desenvolvimento metódico, regrado e bem conduzido. É necessário um período preliminar de adaptação do Médium com o ambiente e sobretudo, com o conjunto de forças magnéticas que se forma em dado local, quando pessoas de objetivos idênticos se reúnem e se afinizam. O desenvolvimento mediúnico se apresenta de duas formas:

NATURAL: à medida em que evolui e se moraliza, a pessoa adquire facilidades psíquicas e desenvolve suas qualidades mediúnicas.

PROVA: a muitos, entretanto, a mediunidade surge como prova de fogo, recebem-na com poderoso auxílio para sua evolução. E para isso vem sempre acompanhada de um grande problema seja financeiro ou amoroso. O que faz com que o médium tenha que ir até uma Casa de Umbanda e assim começar seu processo de desenvolvimento.

Pai Jonas Barroso
Pai no Santo de Umbanda

https://twitter.com/paijonasbarroso
blog: averdadeiraumbanda.blogspot.com
email: jonasbarroso@facebook.com

Anúncios
Publicado em: Sem categoria

Um comentário sobre “TIPOS DE MEDIUNIDADE

Comente se for um comentário instrutivo ...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s