13 de maio – Saravá Pretos Velhos!!!



Coletânea de pontos de Preto Velhos 

001-PONTO DE PRETO VELHO

Com as contas do seu rosário,
A minha vó já benzia,
Saravá Pai Benedito,
Pai José e Vó Luzia.

O Preto é pura humildade,
Bondoso é seu coração,
Saravá Vovô Baiano,
Mãe Maria e Pai João.

Com as contas…

Na luta com sacrifício,
Precisa humildade e fé,
Saravá Maria Conga,
Pai Fabrício e Pai Tomé.

Com as contas…

Tambor rufando pra Preto,
Trabalha como Ele só,
Saravá Pai Geremias,
Maria Bina e Pai Jacó.

Com as contas…

Nesta Terra prá vencer,
É preciso muita fé,
Saravá Mãe Anastácia,
Vô Bahia e Pai André.

Com as contas…

Só é feliz quem trabalha,
O meu Velho já dizia,
Saravá Vovó Cambinda,
Salve o Povo da Bahia.

Com as contas…

O Preto não tem dinheiro,
Mas tem tesouro pra dá,
São Bençãos que vem do alto,
Do nosso Pai Oxalá.

Com as contas…

A alma do Preto é pura,
Mais doce que o puro mel,
Salve os nossos Pretos Velhos,
Salve a Princesa Isabel.
Com as contas…

Na roda de Preto Velho,
Tem farofa, tem café,
Saravá Povo do Gongo,
Salve o Povo da Guiné.

Com as contas…

Quem no trabalho só vê,
Fama, poder e riqueza,
Vive só de fantasias,
É grande a sua pobreza.

Com as contas…

Toda a riqueza da Terra,
No meu Reino é sem valor,
O nosso maior tesouro,
É humildade, paz e amor.

Com as contas…

Mesmo assim há esperanças,
Pro caminho retomar,
Estou aqui filho meu,
Diz nosso Pai Oxalá.

Com as contas…

Joga fora tuas pedras,
Segura na minha mão,
Vem, retoma o teu caminho,
Filho do meu coração.

Com as contas…

Te espelha no Preto Velho,
Seja humilde, seja puro,
Lembra que o brilho do ouro,
Sempre acaba no escuro.

Com as contas…

002-LIDA DE ENGENHO

Traz a cana pro engenho,
Bota a cana pra moer,(bis)

Depois da cana moída,
Tem garapa pra beber.(bis)

Da garapa faz açúcar,
Pro consumo e pra vender.(bis)

É o produto da venda,
Que mantém a fazenda.(bis)

As sobras ficam pro Negro,
Em troca da vida dura.(bis)

Que volta ferver no tacho,
Faz rapadura, faz bala,
Pra festa da criançada,
E alimento da senzala. (bis)

003-PONTO DE CONGO

É Congo, é Congo, é Congo,
É Congo, é Congo aruê.
É na Linha de Congo,
Agora que eu quero ver.(bis)

Baixou na Linha de Congo,
É Congo, é Congo aruê.
Rei Congo é Rei coroado,
Na Linha de Zambi e Aruê. Bis

004-CONGO NO TERREIRO

Pretos Velhos vem de Minas,
Eles vem beirando o mar,
É Congo no Terreiro,
Congo veio saravá. Bis

005–POVO DA BAHIA 

Ó meu Senhor do Bonfim,
Valei-me São Salvador,
Vamos saudar nossa gente,
Povo da Bahia chegou.

Cadê a sua Pemba,
Cadê a sua Guia,
Sua terra é muito longe,
Seu Congá é na Bahia. Bis

006-CHAMA OS P VELHOS

Bate que bate na cumbuca,
Repenica no Congá,
Chama os Pretos Velhos,
E Vamos trabalhar. Bis
007-PAU GUINÉ

Olha Pau Guiné, olha Pau Guiné… (bis)

Oi virou p’ra cá, Pau Guiné,
Tornou a virar, Pau Guiné,
P’ra não zombar, Pau Guiné,
Tem que respeitar, Pau Guiné.

Olha Pau Guiné, olha Pau Guiné…
Bis
Oi virou p’ra lá, Pau Guiné,
Tornou a virar, Pau Guiné,
P’ra não zombar, Pau Guiné,
Tem que respeitar, Pau Guiné.

Olha Pau Guiné, olha Pau Guiné…
Bis
Oi virou p’ra cá, Pau Guiné,
Tornou a virar, Pau Guiné,
P’ra não zombar, Pau Guiné,
Tem que apanhar, Pau Guiné.

Olha Pau Guiné, olha Pau Guiné…
Bis
Oi virou p’ra lá, Pau Guiné,
Tornou a virar, Pau Guiné,
P’ra não zombar, Pau Guiné,
Tem que apanhar, Pau Guiné.

Olha Pau Guiné, olha Pau Guiné…
Bis
Oi virou p’ra cá, Pau Guiné,
Tornou a virar, Pau Guiné,
P’ra não zombar, Pau Guiné,
Tem que respeitar, Pau Guiné,
Vai apanhar, Pau Guiné.
Olha Pau Guiné, olha Pau Guiné…(bis)

008-PONTO DA VÓ LUZIA

Ó Preta Velha, você não engana,
Amarra a saia com palha de cana,
E o cigarro que ela fuma,
É de Palha da Aruanda.
E o cigarro que ela fuma,
É de Palha da Aruanda. (bis)

Ó Preta Velha, você é faceira,
Usa perfume de botão de laranjeira,
E quando entra no rodado,
Ela samba a noite inteira. 
E quando entra no rodado,
Ela samba a noite inteira. (bis)

009-SUBIDA

Lá na Aruanda, onde Jesus andou,
Muita paz e muito amor Jesus deixou,
Vó Luzia está nos dando a sua benção,
Lá na Aruanda Virgem Mãe está chamando.
Vó Luzia vai nos dando a sua benção,
Lá na Aruanda Virgem Mãe está chamando. (bis)

010- PAI BENEDITO

Nossa mata tem folha,
Tem rosário de Nossa Senhora,
Tem Aroeira de São Benedito,
Pai Benedito que nos valha nessa hora.

011-MÃE MARIA E PAI JOSÉ 

Mãe Maria cadê Pai José…
Foi na mata, buscar guiné.
Bis
Diga a Ele quando vier,
Que pise no chão,
Mas não bata dom o pé. (bis)

012-OLHA QUEM VEM

Olha quem vem de lá tão longe,
Das Campinas do Guiné,
É Oxóssi caçador,
Mãe Maria e Pai José,
Mãe Maria e Pai José. (bis)

013-NEGO DO CACHIMBO

Meu cachimbo tá no toco,
Mandei moleque buscar,
Na hora da derrubada,
Meu cachimbo ficou lá.(bis)

014-MARIA BINA

Pimenta da Costa, 
Azeite de Dendê,
Vou chamar Maria Bina,
P’ros seus filhos benzer.(bis)

015-PAI JOAQUIM

Pai Joaquim ê ê…
Pai Joaquim ê á…
Pai Joaquim veio de Angola, 
Pai Joaquim é de Angola Angolá. (bis)

Pai Joaquim ê, ê,
Pai Joaquim ê, ê,
Pai Joaquim é filho de Angola,
Pai Joaquim é de Angola, Angolá.

016-PAI JOÃO

Pai João ê ê…
Pai João ê á…
Pai João vem de Angola,
Pai João de Angola angolá.(bis)

017-MARIA CONGA

A onde é que Mãe Maria mora,
Mãe Maria não tem morada,
A morada dessa Preta Velha,
É na beira da estrada. (bis)

018-PAI MIGUEL

O galo cantou, 
Na rompida da aurora,
O Pai Miguel chegou,
O Pai Miguel foi embora. (bis)

019-QUEM NÃO TEM FÉ

Preto Velho está quebrado,
De tanto trabalhar,
Preto Velho está cansado,
De tanto curimbar.(bis)

Firma o ponto, minha gente,
Que é longa a caminhada,
Quem tem fé tem tudo,
Quem não tem fé,
Não tem nada. (bis)

020-ADVERTÊNCIA DE 
PRETO VELHO

Nesse mundo de meu Deus
Filho meu…
Não deve duvidar,
Filho meu… (bis)
Ê, ê, ê,
Filho meu
De Preto-Velho no “Congá”…

021-PONTO DOS ZULUS

Coziribambo é de Bangulê,
Coziribambo é de Bangulá,
Coziribambo, uriqui de bambo ôi.
Coziribambo, oriqui bambá.
Coziribambo, é de Bangulê é.
Coziribambo, oriqui bambá.
Coziribambo, uriqui de bambo ôi.
Coziribambo, di curimbambá.

022-POVO CHINÊS

Os caminhos estão fechados,
Foi meu povo que fechou.
Saravá Buda e Confúcio!
Saravá meu Pai Xangô.
Saravá Povo Chinês,
Que trabalha direitinho,
Saravá, Lei de Umbanda.
Saravá eu, fecha caminho!

023-PAI JOSÉ D’ANGOLA

Eu vi Pai José D’Angola,
Eu vi a Sereia do Mar. (bis)
Pai José toma conta do filho,
Tira areia do fundo do mar. (bis)

Você diz que é cavalo,
Cavalo você não é, é,
Cavalo que é cavalo,
Escorrega e fica em pé.

Você diz que é cambono,
Cambono você não é, é,
Cambono que é cambono,
Não tira a mão, bota o pé.
Você diz que é cabeceira,
Cabeceira você não é, é,
Cabeceira que é cabeceira,
Só fala aquilo que é.

024-PRETO-VELHO CHEGÔ

Abre a Engira,
Risca ponto,
Acende a vela,
Cachimbo pitô.
Canta Curimba:
Preto-Velho chegô!

Chama filho,
Que começa a pedir.
Preto-Velho escuta,
Triste história de dô.

Canta Curimba:

Preto-velho chegô!

Pita cachimbo;
Segura Pemba
Seu dotô.

Canta Curimba:
Preto-Velho chegô!

Pitando cachimbo,
Enxuga lágrimas,
Suaviza a dô.

Canta Curimba:
Preto-Velho chegô!

025-P UM ESPÍRITO A FALAR DIREITO

O dia amanheceu na Calunga!
Tu fala direito!…
Na língua de Zambi!
O dia amanheceu na Calunga!
Tu tem que falá
Na língua de Zambi!

026-P QUEIMAR PÓLVORA

Só queima fogo, quem pode queimá,
Meu ponto é seguro, não deve faiá.
Só manda fogo é quem pode mandá,
Meu ponto é seguro, meu Pai Oxalá.

027-CHAMARAM PRETO

Chamaram Preto…
Preto-Velho chorou…
Quando viu a chibata,
E a pancada de dor,
Na mão do senhor…
Hoje desce do Céu,
No seu manto de luz,
Vem lá de Aruanda,
Vão prestar-lhe homenagem,
Os seus filhos de fé,
No Terreiro de Umbanda. (bis)

028-PAI TOMAZ

Ele é preto é,
Ele é preto é,
É neto de Pai Joaquim,
Sobrinho de Pai José.
Ele veio da Bahia,
Ele veio da Aruanda.
Ele é Pai Tomás,
Vencedor de demandas.
Ele veio da Bahia,
A mironga ele faz,
É irmão de Pai Tomé,
Saravá nosso Pai Tomás.

029-POVO DE ANGOLA

Quem vem de longe,
É Pai Jacinto de Angola,
Quem vem de longe,
É Mãe Joana de Angola,
Com seus cabelos brancos,
Encaracolados,
Tem a brancura e a doçura da alegria,
Abençoados sejam os filhos de Maria.

Quem vem de longe,
É Pai José de Angola,
Quem vem de longe,
É Mãe Josefa de Angola,
Com seus cabelos brancos,
Encaracolados,
Tem a brancura e a doçura da alegria,
Abençoados sejam os filhos de Maria.
Quem vem de longe,
É Vô Bento de Angola,
Quem vem de longe,
É Vó Maria de Angola,
Com seus cabelos brancos,
Encaracolados,
Tem a brancura e a doçura da alegria,
Abençoados sejam os filhos de Maria.
Quem vem de longe,
É Vô Serafim de Angola,
Quem vem de longe,
É Vó Juvensa de Angola,
Com seus cabelos brancos,
Encaracolados,
Tem a brancura e a doçura da alegria,
Abençoados sejam os filhos de Maria.

030-CONQUISTA DA LIBERDADE

Quem tem e ama seu lar,
Por certo sabe também,
Que o amor de pai e filho,
Não se encontra em mais ninguém.

Do sofrimento maior,
Que o negro provou a dor,
Foi ter arrancado o filho,
Fruto do seu “negro amor”,
Para ser mercadoria,
De posse do seu senhor.

Calou fundo, pisou na alma,
Verteu pranto e emoção,
É que o sinhô não sabia,
Que o negro tem coração…
Alma de rara beleza,
Isabel, enfim chegou…
E vendo tanta tristeza,
Aquilo não suportou…
Por bondade da Princesa,
A Lei Áurea é assinada,
E o negro conhece a luz,
Da liberdade sonhada.

Graças a ti, ó Princesa,
O cativeiro é passado…
Seja por tão nobre feito,
Teu nome sempre lembrado!

Oxalá na sua glória,
Te tenha alma tão pura,
E que as Mães do céu, multipliquem,
Amor, bondade e ternura,
Bandeira que nos legaste,
Nobre e bela criatura…

Monjolo gemendo amassas,
Cana de açúcar pra mim,
Também gemi nas mordaças,
Hoje já não é assim…
Oxalá ouviu meu canto,
Meu lamento em oração…
E um anjo mandou a terra,
Para a nossa salvação.
Eu te agradeço Princesa,
Do fundo do coração,
Pelo Brasil, Pátria livre,
Para o negro meu irmão.

Hoje já não tem mais tronco,
Só de lembrar, quanto horror,
O negro hoje é cidadão,
Como o branco meu senhor,
Na lei que é feita pra todos,
Não faz diferença a cor,
Tem o seu lar, tem família,
Não tem preço o seu amor,
Vive e ama como o branco,
Tem coração sim senhor.

031-PONTOS DAS ALMAS

Se não fosse as minhas Almas,
Meu Cruzeiro o que seria. (bis)
Meu Santo Antônio é Rei das Almas,
Ele é quem me defendia. (bis)

032-BOTA DENDÊ NO FOGO

As Almas do Cruzeiro,
Sabem trabalhar…
Bota dendê no fogo,
Não deixa a lenha apagar. (bis)

033-SANTAS ALMAS

Oh! Santas Almas,
Do rosário de Maria. (bis)
Ajude a esse filho,
A caminhar pelos seus dias. (bis)

034-MEU SANTO ANTÔNIO

Meu Santo Antônio,
Não me deixa andar sozinho. (bis)
Me manda as Santas Almas,
Para abrir os meus caminhos. (bis)

035-LAMPIÃO DE VIDRO

Na Bahia tem,
Eu vou mandar buscar.
Lampião de vidro, sá dona,
Para clarear. (bis)

036-CRUZEIRO DAS ALMAS

Lá no Cruzeiro das Almas,
A onde as Almas vão rezar. (bis)
As Almas choram de alegria,
Quando os filhos se combinam,
Também choram de tristeza,
Quando não querem combinar. (bis)

037-TÁVA NA ESTAÇÃO

Táva na estação, auê,
Quando o trem chegou, auê,
Cheio de baianas, auê,
De São Salvador, auê. (bis)

038-UMA AVE MARIA

Quando o galo canta,
Em louvor à Maria!… (bis)
As Santas Almas rezam,
Uma Ave Maria… (bis)

Ave Maria,
Cheia de graças,
O senhor é convosco,
Bendita sois,
Entre as mulheres, e
Bendito é o fruto,
Do vosso ventre,
Nasceu Jesus…
Santa Maria,
Ó Mãe de Deus,
Rogai por nós,
Os pecadores,
Aqui, agora,
Também na hora,
Do nosso adeus,
Óh ! Mãe querida!..
Por Deus ungida,
Acolhe-nos,
Nos braços teus!…

039-CAJUEIRO BENTO

Cajueiro bento,
Aonde nasceu Jesus. (bis)
Minha Virgem Imaculada,
Chora nos pés da cruz. (bis)
Abre a porta do céu São Pedro,
Deixa as Almas trabalhar. (bis)
Minha Virgem Imaculada,
Chora nos pés da cruz. (bis)

040-AS ALMAS DÃO

As Almas têm,
As Almas dá,
As Almas dá,
Para quem sabe aproveitar. (bis)

041-ST ANTÔNIO DE LISBOA

Santo Antônio é de Lisboa,
Tem coroa de guiné,
Abênção minhas Almas Santas,
Reforçai a minha fé. (bis)

042-CAPIM DE ANGOLA

Capim de Angola,
Tá capinando e tá nascendo. (bis)
Já capinou e tá nascendo,
Já capinou e tá nascendo. (bis)

043-ERAM AS ALMAS

Eu vi um clarão na mata,
E pensava que era dia. (bis)
Mas eram as almas,
Mas eram as almas,
Mas eram as almas,
Do rosário de Maria. (bis)

044-CASCA DE CÔCO

A vovó não quer,
Casca de coco no terreiro. (bis)
Que é pra não lembrar,
Do tempo do cativeiro. (bis)

045-STO ANTONIO DE PEMBA

Santo Antônio de Pemba,
Caminhou sete anos,
À procura de um filho,
Que aqui deixou…(bis)
Como caminhou,
Meu Santo Antônio,
Como caminhou,
Meu Santo Antônio,
Como caminhou,
Meu Santo Antônio,
Como caminhouuu…
Santo Antônio de Pemba,
Como caminhou. (bis)

046-CAFÉ DE MEIA

Eu já plantei café de meia,
Eu já plantei canavial… (bis)
Café de meia, não dá lucro sinhá dona,
As Santas Almas podem dar. (bis)
Oi, deixa Umbanda melhorar,
Oi, deixa Umbanda melhorar,
Oi, deixa Umbanda melhorar,
Minhas Santas Almas,
Oi, deixa Umbanda melhorar.

047-PRETOS VELHOS
(Saudação)

Kakarucai, as Almas,
Preto Velho no Terreiro.
Kakarucai, as Almas,
Se livrou do cativeiro. (bis)

048-PADECEU, PADECEU

Preto Velho na senzala,
Padeceu, padeceu,
Preto Velho não chorava,
Só dizia: Ai meu Deus,
Ai meu Deus, ai meu Deus. (bis)

049-VOU SARAVÁ

Ai meu Senhor do Bonfim,
Tenha pena de mim,
Meu Senhor do Bonfim. (bis)
Vou saravá,
Pretos Velhos no Terreiro,
Saravá meu Pai Ogum,
Saravá Santo Guerreiro. (bis)

050-ORDEM DE OXALÁ

Estava na beira da praia,
Lá no céu deu um clarão! (bis)
A ordem era de Aruanda;
Livrando o preto da escravidão. (bis)
Foi de Oxalá, a ordem suprema,
Mãe Iemanjá quem mandou,
Meu Pai Xangô, escreveu lá na pedreira,
Pai Ogum cumpriu a ordem,
Pai Oxóssi confirmou. (bis)
Hoje eu tenho alegria,
Hoje eu tenho alegria,
Hoje eu tenho alegria,
Preto Velho hoje é sinhô. (bis)

051-BATE TAMBOR

Bate tambor, lá na Angola, bate tambor. (bis)
Pai Mané, bate tambor,
Pai José, bate tambor,
Pai Joaquim, bate tambor,
Bate tambor, lá na Angola, bate tambor.

052-SEU DOUTORZINHO

Seu doutorzinho,
Quer que chame de doutor. (bis)

É desaforo,
Cativeiro já acabou.
Branco sabe ler,
Branco sabe escrever,
Mas não sabe dia em que morre,
O preto é quem vai dizer.

053-PRETOS VELHOS
(Firmeza)

Kenguelê, kenguelê Xangô,
Ele é filho da cobra coral. (bis)
Olha preto tá trabalhando,
Olha branco só tá olhando. (bis)

054-LÁ NA LUANDÊ

Lá na Luandê,
Lá na Luandê,
Preto Velho segura cangira de Umbanda,
Lá na Luandê,
Lá na Luandê. (bis)

055-DE PRETOS VELHOS
(Descarga)

Na linha de Pretos Velhos,
Ninguém pode atravessar. (bis)
Oi segura a pemba, ê, ê,
Oi segura a pemba, ê, á,
Oi segura a pemba, ê, ê,
Oi segura a pemba no gongá. (bis)

056-PAI ANDRÉ DO CRUZEIRO

Cruzeiro bendito das Almas,
Onde pego a força minha fé. (bis)
Me livrai de todos os inimigos,
Me livrai do meu castigo,
Protegei-me, Pai André.

057-PAI ANDRÉ

Na Umbanda tem um velho,
Que quase não caminha,
Pai André tá muito velho,
Traz mandinga na bainha.

058-PAI ANDRÉ

No Cruzeiro do Campo Santo,
Um velhinho trabalhava,
Chorando com contrição,
Do cativeiro se lembrava.
Pai André foi sofredor,
Na mão do branco senhor,
Hoje em dia na Umbanda,
É o nosso salvador.

059-PAI ANDRÉ DA GUINÉ

Com flores brancas, 
Minhas Almas vou louvar,
Com seu perfume,
Também vou me perfumar. (bis)
Mamãe Oxum,
Ilumina a minha fé,
As almas vem de Aruanda,
Pai André de Guiné. (bis)

060-MEU BOM JESUS

Meu bom Jesus,
Meu Senhor do Bonfim! (bis)
As Almas Santas, me digam,
Me digam quem é,
Que vem chegando de Aruanda?…
É Pai André de Guiné. (bis)

061-PAI BENEDITO DA CALUNGA

Lá na Aruanda,
Já cantou o sabiá. (bis)
Capim d´Angola,
Já forrou o meu sapê.
Pai Benedito na choupana,
Vem pra seus filhos benzê. (bis)

062-QUEM NÃO ENTENDE

Quem não entende,
Não é bom se alvoroçá. (bis)
Quem não “guenta” com mandinga,
Não carrega patuá,
Benedito vem na frente,
P´ra zelá por seu gongá.

063-P BENEDITO D´ANGOLA

Pai Benedito é bom,
Ele aprendeu sem ensinar. (bis)
Sete dias ficou caído,
No tronco do roseirá. (bis)

064-PAI BENEDITO DAS ALMAS

Mina com Congo,
Vamos trabalhar,
Pai Benedito das Almas,
É quem vem nos ajudar.

065-PAI BENEDITO DAS ALMAS

Quem trabalha com as Santas Almas,
Não tem medo de assombração,
Sou filho de Pai Benedito,
Tenho as Almas no coração.

066-PAI BENEDITO DAS
ALMAS

Minhas Almas Santas,
Valei-me Nossa Senhora,
Pai Benedito das Almas,
Valei-me em todas as horas

067-PAI BENEDITO DO CRUZEIRO

Quando ele vem,
Vem louvando a Jesus,
Vem dizendo que seu pai,
Que seu pai morreu na cruz. (bis)
Ele vem do tempo do cativeiro,
Ele é Pai Benedito do Cruzeiro,
Ele vem na Umbanda saravá,
Porque tem permissão de Oxalá.

068-PAI BENEDITO DO CRUZEIRO

Ele vem do cativeiro,
Benedito do Cruzeiro,
Ele é chefe de gongá,
Com a permissão de Oxalá.
Auê, na Mesa de Umbanda,
Auê, na Mesa de Umbanda.(bis)
Auê, Benedito no gongá.

069-CAMBINDA

Cambinda chamou seu irmão,
Para vir lhe ajudar,
Benedito do Cruzeiro,
Também ele foi chamar,
Três velhos trabalham juntos,
Para a nossa salvação,
Valei-nos, meus pretos velhos,
Valei-nos, meus bons irmãos.

070-PAI BENEDITO DO CRUZEIRO

Meu Deus, que barulho é esse,
No morro do Kenguerê!…
Pai Benedito do Cruzeiro,
Por Deus, venha me valer.

071-PAI BENEDITO DA GUINÉ

Quebrando guiné,
Ele vem trabalhando,
É Pai Benedito,
Que já vem chegando.

072-PAI CARLOS DO CRUZEIRO

Eu abro meu terreiro,
Eu abro meu gongá,
Pai Carlos do Cruzeiro,
Já veio pra trabalhar.

073-PAI CARLOS DE LUANDA

Pai Carlos de Luanda,
Quando vem pra trabalhar,
Traz seu cesto de mandingas,
Sua bengala e seu patuá.

Sua reza é muito forte,
Para quem carrega a fé,
Pai Carlos vem de Luanda,
Louvando a São José.

074-PAI CARLOS DE LUANDA

Firmou seu ponto na areia,
Seu nome ele vai anunciar,
Ele se chama Pai Carlos de Luanda,
E vem para Umbanda trabalhar.

075-PAI CARLOS DO ROSÁRIO

As almas benditas e santas,
Deram a sua bênção,
Pai Carlos do Rosário,
Trazei-nos a salvação.

076-PAI CAMBINDA DE ANGOLA

Na linha de Arueira,
Pai Cambinda vem trabalhar,
Linda luz que lhe rodeia,
Quem lhe deu foi Oxalá. (bis)

077-PAI CIPRIANO DA SENZALA

Trazendo uma veste branca,
Com a cruz de Deus no peito,
Pai Cipriano chegou no Terreiro,
Todos os males vão ter o seu jeito. (bis)

078-PAI CIPRIANO DA SENZALA

No tempo do cativeiro,
Juntava sete vinténs,
Cipriano na senzala,
Não fazia mal a ninguém.
Preto Velho rezador,
Cumpria sua missão,
Trazendo a Virgem Maria,
Sempre no seu coração.

079-PAI CIPRIANO DAS ALMAS

Feitiço, mandinga, quebranto,
Só ele sabe rezar,
Sua bengala e seu cachimbo,
Servem para trabalhar.
Pai Cipriano das Almas,
É um velho mandingueiro,
Quando chega na Umbanda,
Encruza todo o Terreiro.
Ele é velho rezador,
Com seu patuá de valia,
Por Deus e Nossa Senhora,
Nos tira da agonia.
080-PAI CIPRIANO QUIMBANDEIRO

Sua quimbanda tem ponto firme,
O seu ponteiro não erra,
Pai Cipriano Quimbandeiro,
Protegei-nos nesta terra.

081-PAI CIPRIANO QUIMBANDEIRO

Com um belo galo preto,
E linda fita encarnada,
Cipriano Quimbandeiro,
Vai fazer sua arriada.

082-PAI DOMÍCIO DAS ALMAS

Pai Domício chegou no reino,
Meu Deus, quanta coisa linda,
Pai Domício vem trazendo,
E tem muito mais ainda.
Preto Velho de missão,
Pai Domício vem trabalhar,
No Terreiro de Jesus,
Ele vem pra saravar.

083-PAI DOMÍCIO

Quem tem, tem,
Quem dá, quem daria,
Pai Domício chega com Deus,
Na fé da Virgem Maria. (bis)

084-PAI DOMÍCIO DE ANGOLA

Pai Domício é feiticeiro,
Mas não faz mal a ninguém. (bis)
Trabalha com uma vela,
Com um rosário e sete vinténs.

085-PAI DURIMBAMBA

Durimbamba é de katurutú,
Durimbamba é de katuê,
Surumbambaia calunga erú,
Surumbambaia calunga erê. (bis)

086-PAI ELESBÃO DE ANGOLA

Meus Deus, que santo é aquele,
Que vem vindo de canoa. (bis)
Louvado seja Jesus,
É Pai Elesbão que vem de Lisboa.

087-PAI ELESBÃO DO CRUZEIRO

No Cruzeiro das Almas Santas,
Pai Elesbão eu vi chorar,
Chorava de tanta pena,
Por seus filhos lamentar,
Suas lágrimas eram benditas,
Vinham do seu coração,
Oxalá sempre lhe ouvia,
Mandando sua bênção. (bis)

088-PAI FABRÍCIO DE ARUANDA

Um clarão iluminou o céu,
Abriu-se a linda Aruanda,
De lá baixou um velhinho,
Trazendo paz para a banda.
Pai Fabrício vem trabalhar,
Com seu patuá de Angola,
Vem para descarregar Terreiro,
Traz sua mandinga dentro da sacola.

089-PAI FELICIANO DE ANGOLA

Kekerê kekê nas Almas,
Tá na Angola aê,
Feliciano é de Angola, aê,
Tá na Angolê. (bis)

090-PAI FELICIANO DA GUINÉ

Pai Feliciano que vem da Guiné,
Quando chega no Terreiro,
Louva o Senhor Jesus Cristo,
Que o livrou do cativeiro.

091-PAI FABRÍCIO DE ARUANDA

Pai Fabrício tinha sete filhos,
Todos sete queriam comer,
Caldeirão é pequenininho,
Reparte só, que eu quero ver. (bis)

092-PAI FABRÍCIO DE ARUANDA

Eu estava no Terreiro,
Vendo os velhos trabalhar,
Pai Fabrício veio de Aruanda,
Pra cruzar o meu gongá.

093-PAI FIRMINO DE ANGOLA

Pai Firmino de Angola,
Quando baixa no Terreiro,
Se benze na Santa Cruz,
Se benze na Santa Cruz,
Louva primeiro a Jesus.


094-PAI FIRMINO DE ANGOLA

Andou sete noites,
Andou sete dias,
Pai Firmino de Angola,
Veio com Virgem Maria.

095-PAI FIRMINO DE ANGOLA

Que velhinho é aquele,
Que vem acolá,
Pai Firmino de Angola,
Já vem pra trabalhar.

096-PAI FULGÊNCIO DA GUINÉ

Pai Fulgêncio da Guiné,
Quando baixa no gongá,
Abençoa os seus filhos,
Com a força do seu patuá.
Aê, aê, aê,
Pai Fulgêncio da Guiné. (bis)

097-PAI FULGÊNCIO DE LUANDA

Quem quiser ver,
Que veja,
Quem quiser ter,
Que tenha,
Pai Fulgêncio de Luanda,
Em nosso socorro venha.

098-PAI FULGÊNCIO DE LUANDA

Quando as Almas choram,
Nos pés do Cruzeiro,
Pai Fulgêncio de Luanda,
Se lembra do cativeiro.
Bom velhinho foi escravo,
Só trabalhava para o senhor,
Hoje em dia nos Terreiros,
Alivia a nossa dor.

099-PAI GREGÓRIO

Pai Gregório é,
Dono de gongá. (bis)
Sentado no seu toco,
Ele vem pra trabalhar. (bis)

100-PAI GREGÓRIO

Igual a Pai Gregório não tem,
Igual a Pai Gregório não há,
Procure de vela acesa,
Assim mesmo não vai encontrar.

101-PAI GREGÓRIO

Firmou ponto na linha das almas,
Seu trabalho começou.
Pai Gregório no Terreiro,
É o nosso salvador.

102-PAI HORÁCIO

Vencedor de demanda, ele é,
Protetor dos aflitos, ele é,
Pai Horácio na Umbanda, ele é,
Zelador da nossa fé, ele é.

103-PAI HORÁCIO

Foi nas Almas,
Foi nas Almas,
Foi nas Almas que eu me vali. (bis)

Nas Almas Santas do Cruzeiro,
Lembrando o tempo antigo,
Pai Horácio trabalhava,
Livrando-nos dos inimigos.

104-PAI INÁCIO

Quem trabalha na linha das Almas,
Tem sempre a sua proteção,
Pai Inácio quando vem pra terra,
Traz-nos sempre a sua bênção.

105-PAI INÁCIO DE LUANDA

Pai Inácio catiporé,
Na calunga, catiporá,
Pai Inácio veio de Luanda, Umbanda,
Vem girá no seu gongá.

106-PAI INÁCIO DO CRUZEIRO

Ele vem de longe,
Pai Inácio do Cruzeiro,
Ele vem chegando,
E já vem trabalhando.

107-PAI JERÔNIMO

Pai Jerônimo é espírito,
Não tem sexo nem tem cor,
Pai Jerônimo é preto velho,
Com a fé de Nosso Senhor.

108-PAI JERÔNIMO

Pai Jerônimo não fala bonito,
Perto do seu branco irmão,
Pois para o Senhor Jesus,
Velho fala com o coração.

109-PAI JERÔNIMO

Pai Jerônimo veio de longe,
Santo Antônio da Luandê,
Pai Jerônimo vem saravá,
É Santo Antônio na Luandá.
Na Luandê, na Luandê, na Luandá. (bis)
Na Luandê, na Luandê, na Luandá.

110-PAI JOAQUIM DO CONGO

Vendo de longe,
Venho da mais linda cidade. (bis)

Sou Pai Joaquim do Congo,
Desmanchando toda maldade.

111-PAI JOAQUIM DE MINAS

Pai Joaquim de Minas,
Quando vem lá de Aruanda,
Vem chegando, vem saudando,
Todos filhos de Umbanda.
Ele tem o nome de Jesus,
José e Maria,
Desmancha macumba e
Quebra demanda,
Com o poder da sua magia.(bis)

112-PAI JOAQUIM DE ARUANDA

Catimbô, catimberê,
Catimbô, catimberá,
Pai Joaquim de Aruanda,
É quem vem nos saravá.

113-PAI JOAQUIM DE LUANDA

Ôi, salve Deus,
Salve o povo de Aruanda,
Preto Velho chegou no reino,
Pai Joaquim de Luanda. (bis)

114-PAI JOÃO D´ANGOLA

Quando ele vem nesta banda,
Vem na Umbanda saravá, gongá,
Ô saravá Pai João d´Angola, saravá,
Que a seus filhos de pemba,
Ele vem abençoar, saravá.

115-PAI JOÃO D´ANGOLA

Na Angola tem um velho,
Que caminha devagar,
Chama Pai João,
E vamos trabalhar.

116-PAI JOÃO DO CRUZEIRO

Na fé das Almas benditas,
Na fé do meu Pai João,
Eu rezo no Cruzeiro Santo,
E peço a sua bênção.

117-PAI JOSÉ

Pai José, cadê Pai Mané,
Tá no mato apanhando guiné. (bis)
Diga a ele que quando vier,
Suba as escadas sem bater com o pé. (bis)

118-PAI JOSÉ D´ANGOLA

Ele é Pai José,
Vem lá de Angola,
Com seu patuá,
Com a sua sacola.
A fumaça vai,
A fumaça vem,
Pai José de Angola,
Tem mironga tem.

119-PAI JOSÉ D´ANGOLA

Pai José veio de Angola,
Veio de Angola, Angolá.
Quando chegou no Terreiro,
Encruzou seu jacutá.

120-PAI JOSÉ DO CRUZEIRO

Quem nas Almas Santas confia,
Não fica pelo caminho.
Meu bom Pai José do Cruzeiro,
Não nos deixe ficar sozinho.

121-PAI JOSÉ DA CAMPINA

Pai José da Campina é curador,
Quando chega no reino,
Sabe mais que o doutor.

122-PAI JOSÉ MINEIRO

Mineiro ê,
Mineiro á,
Pai José Mineiro,
Traz a bênção de Oxalá.

123-PAI JOSÉ MINEIRO

Carreiro bom,
Trazendo sua boiada,
Pai José quando vem de Minas,
Traz sempre sua guiada.

124-PAI MIGUEL DE ANGOLA

Da Angola veio um velho,
Que caminha devagar. (bis)
Ele é Pai Miguel de Angola,
Que vem na banda trabalhar. (bis)

125-PAI MIGUEL DE ARUANDA

Ele vem de Aruanda ô ganga,
Ele vem de Aruanda ô ganga.(bis)
Ele é velho feiticeiro,
Ele é trabalhador,
Mas não brinque com seu ponto,
Se não quer chorar de dor. (bis)

126-PAI TOMAZ

Ele é preto é,
Ele é preto é,
É neto de Pai Joaquim,
Sobrinho de Pai José.
Ele veio da Bahia,
Ele veio da Aruanda.
Ele é Pai Tomaz,
Vencedor de demandas.
Ele veio da Bahia,
A mironga ele faz,
É irmão de Pai Tomé,
Saravá nosso Pai Tomaz.

127-PAI TOMÉ DE ARUANDA

A minha urucáia,
Tem mungunzá,
A minha urucáia,
Tem quirombô,
Pai Tomé de Aruanda,
É o nosso salvador.

128-PAI TOMÉ DA BAHIA

Pai Tomé da Bahia,
Trouxe flores no seu samburá,
E galhinhos de arruda,
Pra cruzar o seu gongá. (bis)

129-POVO DA BAHIA

Na sua urucáia tem kibombô,
Na sua urucáia,
Na sua urucáia tem mungunzá,
Na sua urucaía,
Quem é da Bahia tem seu patuá,
Na sua urucáia,
Meu Senhor do Bonfim já me saravou,
Na sua urucáia. 

130-PAI TIAGO DE ANGOLA

Pai Tiago ele é velho é,
Ele é irmão de Pai José. (bis)
Ele vem trabalhado de Angola,
Atendendo a seus filhos de fé. (bis)

131-PAI TIAGO DO CONGO

Povo de Congo chegou,
Nesta banda para trabalhar. (bis)
Com sua luz,
Da Aruanda vem trazer,
Pai Tiago vem do Congo,
Para seus filhos benzer. (bis)

132-TIA BENEDITA DA BAHIA

A luz das Almas, brilhou lá no céu,
A luz das Almas, brilhou lá no mar. (bis)
Tia Benedita, preta velha de fé,
Vem da Bahia, trazendo bênção de
Oxalá.

133-TIA BENEDITA DO CEMITÉRIO

No Cruzeiro de cemitério,
Eu vi preta velha rezar. (bis)
Era a Tia Benedita,
Com sua sacola e seu patuá. (bis)

134-TIA BENEDITA DA CALUNGA

Tia Benedita é preta velha,
Não promete pra não faltar. (bis)
Traz sempre da sua calunga,
A força do seu patuá. (bis)

135-TIA BENEDITA DA CALUNGA

Tia Benedita é de Kenguerê,
Sua calunga é de kenguerá.
Na fé das Almas Santas,
Tia Benedita vem trabalhar.

136-TIA BENEDITA DA GUINÉ

Guiné, Guiné,
Vai chamar preta velha guiné. (bis)
Tia Benedita, velha de guiné,
Renovai sempre nossa fé.

137-TIA BENEDITA DA GUINÉ

Ai, minhas Almas Santas,
Benedita da Guiné,
Louvadas as Santas Almas,
Benedita da Guiné.

138-TIA CHICA DA CALUNGA

Viva meu Santo Antônio de Pemba,
Tia Chica é de lei maior,
Tia Chica vem da calunga,
Quando chega não vem só. (bis)

139-TIA CHICA DA BAHIA

A Bahia tem seus lampiões,
Na encruza tem sete vinténs.
Tia Chica tem seu patuá,
Tia Chica não engana ninguém.

140-TIA CHICA DO CEMITÉRIO

Na pousada do Campo Santo,
Tia Chica sempre trabalhou,
Sete figas de guiné,
Sete vinténs de ouro puro,
Ela já encomendou.

141-TIA CHICA DO CRUZEIRO

São Miguel é quem pesa as Almas,
Na sua balança de fé,
Tia Chica do Cruzeiro,
Quando vem quebra sempre guiné. (bis)

142-TIA CHICA DE MINAS

Tia Chica chegou de Minas,
Trazendo saia rendada de chita.
Livrai-me das horas aflitas.

143-TIA MARIA DE MINAS

Tia Maria tem lindo rosário,
Traz de Minas o seu patuá. (bis)
Preta Velha tão formosa,
Firma ponto na lei de Oxalá..

144-TIA MARIA DE MINAS

Tia Maria tem sete cambonos,
Tia Maria tem sete vinténs. (bis)
Tia Maria que vem lá de Minas,
Tia Maria não abandona ninguém.

145-VOVÔ CONGO

Quem trabalha na linha de Congo,
Vovô Congo, é de Congo aruê,
Quem trabalha na linha de Congo,
Agora é que eu quero ver.

146-VOVÔ FELÍCIO DE LUANDA

Kenguerê kenguerá,
Preto Velho vem de Luanda,
Kenguerê kenguerá,
Vovô Felício vem na Umbanda.

147-VOVÔ JULIÃO

Vovô é Congo,
E caminha devagar. (bis)
Abênção das Almas Santas,
Vovô Julião vem pra trabalhar.

148-VOVÔ JULIÃO DA GUINÉ

Auê, meu São Benedito,
Auê, Santo Antônio de fé,
Saravá Vovô Julião,
Vovô Julião da Guiné.

149-REI CONGO DO ROSÁRIO

Aruê, rê, rê,
Aruê, rê, rá, (bis)
Oi, saravá linha de Congo,
Rei Congo é que vem salvar,
Com o seu rosário bento,
Traz a bênção de Oxalá.

150-REI DO CONGO DO ROSÁRIO

Com sua bengala branca,
Seu cachimbo de arueira.
Rei do Congo do Rosário,
Vem do pé da gameleira.

151-VOVÓ BAIANA

Vovó Rosa chegou da Bahia,
Carregando o seu samburá,
Sete galhos de arruda,
Sete rosas pro gongá.

152-VOVÓ CAMBINDA DAS ALMAS

Segura touro, Cambinda,
Amarra no moirão,
O touro é brabo, Cambinda,
Amarra no moirão.
Abre as portas minha gente,
Que vem chegando o boi tatá,
Meus netinhos vão correndo,
Vovó Cambinda é devagar.

153-VOVÓ CAMBINDA DE ANGOLA

Lá vem Cambinda,
Descendo a serra com sua sacola.
Com seu patuá, com seu rosário,
Ela vem de Angola,
Eu quero ver vovó,
Eu quero ver,
Eu quero ver,
Se filho de pemba tem querer.

154-CAMBINDA

Cambinda,
Cambinda vem lá de Angola. (bis)
Trazendo a sua sacola,
Seu rosário e patuá.
Cambinda,
Vem na Umbanda saravá,
Vem trazer para os seus filhos,
As bênçãos de Oxalá.

155-VOVÓ CAMBINDA DO CRUZEIRO

É preta, é preta, Cambinda,
Cambinda do Cruzeiro é preta,
É Cambinda.

156-VOVÓ CAMBINDA DA GUINÉ

Cambinda da Guiné,
Seu pai é ganga,
Cambinda da Guiné,
Seu pai ganga é.

157-VOVÓ CATARINA DAS ALMAS

Chegou, chegou, chegou,
Chegou no Terreiro,
Chegou, chegou, chegou,
A Vovó Catarina feiticeira.

158-VOVÓ CATARINA DE ANGOLA

Lá na Angola ê,
Lá na Angola ê,
Catarina é de Angola, Umbanda,
É de angolê. (bis)

159-VOVÓ CATARINA DE ANGOLA

Na Angola tem uma velha,
Que trabalha com vela acesa,
Com galhinhos de Arruda,
E um copo sobre a mesa.
A sua mironga é forte,
Mas não faz mal a ninguém,
Trabalha com as Almas Santas,
Com o rosário de Belém.

160-VOVÓ CHICA DA PRAIA

O luar brilha nas águas,
Do Reino Santo de Iemanjá.
Vovó Chica lá na praia,
Trabalha com seu patuá.
As ondas benditas do mar,
Quebram todas as mirongas.
Vovó Chica da Praia,
Vem na Umbanda saravar.

161-VOVÓ CHICA DA GUINÉ

Vovó Chica da Guiné,
Trabalhando para o bem,
Quando chega no Terreiro,
Sua banda mironga tem.

162-VOVÓ CHICA DA GUINÉ

Tem mironga, minhas Almas,
Tem mironga na Guiné,
Tem mironga de Vovó Chica,
Tem mironga, mironga tem.

163-VÓ CÓTINHA DE ANGOLA

Lá na Angola ê,
Lá na Angola ê,
Vó Cótinha é de Angola, Umbanda,
É de angolê.

164-VOVÓ CONGA

Vovó Conga tinha sete filhos,
E todos sete queriam comer,
Mas a panela era muito pequena,
Ora parte e reparte,
Que ela quer ver.

165-VOVÓ CONGA DO CRUZEIRO

Vovó Conga do Cruzeiro,
Tem um lindo patuá.
Quando chega na Umbanda,
Ela é dona de gongá.

166-VOVÓ CONGA DO CRUZEIRO

Na Aruanda tem uma velha,
Que trabalha no Cruzeiro.
Chama Vovó Conga,
Que acabou o cativeiro. (bis)
Aê, minha preta velha,
Acenda o seu candieiro. (bis)

167-VOVÓ GANGA

Chega vovó, chega vovó,
Chega vovó, é de ganga maió,
Só tem saia, só tem saia,
Só tem saia, pra que paletó?

168-VOVÓ LUÍZA DE ARUANDA

Uma estrela brilhou no céu,
Meu filho vá ver o que é…(bis)
É Vovó Luíza de Aruanda,
Que vem salvar filhos de fé.

169-VOVÓ LUÍZA DE ARUANDA

Na Aruanda não tem guerra,
Na Aruanda só tem paz…
Vovó Luíza é quem sabe,
Só bondade ele faz. (bis)

170-VOVÓ LUÍZA DA GUINÉ

Vovó Luíza é preta velha,
Trabalha pra quem tem fé.
Quando chega na Umbanda,
Ela vem da Guiné,
Guiné, Guiné, Guiné,
Ela vem lá da Guiné,
Guiné, Guiné, Guiné,
Só trabalha pra quem tem fé.

Ela vem da Guiné,
Guiné, Guiné, Guiné,
Ela vem lá da Guiné,
Guiné, Guiné, Guiné,
Só trabalha pra quem tem fé.

171-VOVÓ LUÍZA DA GUINÉ

É velha formosa é,
Vovó Luíza da Guiné.
Quando chega no Terreiro,
Vem louvando a nossa fé.

172-VOVÓ LUÍZA DO MAR

Na marola das águas de Iemanjá,
Uma velha eu vi trabalhando. (bis)
Era Vovó Luíza do Mar,
Que nesta Umbanda linda, 
Vem chegando.

173-VOVÓ LUÍZA DE MINAS

Carreiro bom,
Fazenda de vaquejada.
Vovó Luíza trabalha,
Na cancela é sua morada. (bis)

174-VOVÓ LUÍZA DE MINAS

Ai, meu Deus do céu,
Tempestade está no ar,
Valei-me, Vovó Luíza,
Para todo o mal levar. (bis)

175-VOVÓ MARIA CONGA

Conga cruza com Cambinda,
Quando vem pra trabalhar,
Maria Conga vem por terra,
Cambinda vem pelo mar.

176-VOVÓ MARIA CONGA

Kekekerekê, ó ganga,
Vovó Maria Conga é ganga. (bis)
Saravá sua Umbanda, é ganga,
Vovó Maria Conga é ganga,
Vovó Maria Conga é ganga.

177-VOVÓ MARIA CONGA
( Abrindo Terreiro )

Abre zi Terreiro,
Abre zi gongá,
Chegou Maria Conga,
Que veio trabaiá.

Abre meu Terreiro,
Abre meu “congá”,
Chegou Maria Conga,
Que veio trabalhar.

178-VOVÓ MARIA CONGA D´ANGOLA

Na Angola auê,
Na Angola auá,
Chama Vovó Maria Conga,
E vamos saravá.

179-VOVÓ MARIA CONGA D´ANGOLA

Meu Santo Antônio é pequenino,
Tem coroa de guiné,
Vovó Maria Conga de Angola,
Trabalha pra quem tem fé.

180-VOVÓ MARIA CONGA D´ANGOLA

Bateu tambor na Angola,
Repinicou no gongá,
É Vovó Maria Conga chegando,
Trazendo d´Angola o seu patuá..

181-VOVÓ MARIA CONGA DO CRUZEIRO

Lá no Cruzeiro santo e bendito,
Vovó Maria Conga não trabalha só.
Tem um velho ao seu lado,
Pai Benedito está sentado,
Na porta do roncó.

182-VOVÓ MARIA CHICA DE QUIMBANDA

Preta Velha feiticeira,
Que trabalha na Quimbanda.
Vovó Maria Chica mirongueira,
Saravá a sua banda.

183-VOVÓ MARIA CHICA DE QUIMBANDA

Demanda com ponto de fogo,
Vovó Maria Chica sabe desmanchar,
Sua quimbanda é para o bem,
Para todo o mal levar.

184-MARIA DO BALAIO

Papai quero ver meu povo…
Quero ver a minha gente!
Chegou Maria do Balaio…
Chega, chega, minha gente!

185-MARIA MINA DA BAHIA

Andei sete noites, andei sete dias,
Chegou Maria Mina,
Com seu povo da Bahia.
Pimenta lá da Costa…
Azeite de Dendê…
Chegou Maria Mina,
Para os seus filhos benzer.
Chegou Maria Mina,
Dona de Gongá.
Chegou Maria Mina,
Ela veio trabalhar.

186-TIA ROSA DA BAHIA

Vem aí a Tia Rosa,
Tia Rosa vem aí,
Vem aí a nossa Tia,
Que é filha da Bahia.
Salve o Povo da Bahia,
Gente de todo o lugar,
Dá licença minha gente,
Tia Rosa quer chegar.
Nosso Senhor Jesus Cristo,
Peço a vós pra iluminar,
Tia Rosa da Bahia,
Que acaba de chegar.
Tia Rosa quando chega,
Vem seus filhos saravar,
Num Terreiro de Umbanda,
Sua Guia é de Oxalá.

187-VOVÓ MARIA REDONDA

Quem vem lá,
Que combate demanda,
Linha de Congo,
É Maria Renda.

Quem vem lá,
Quem combate demanda,
Filha de Congo,
É Maria Redonda.

188-VOVÓ RITA DO CRUZEIRO

Vovó Rita do Cruzeiro,
Não deixa ninguém no caminho,
Valei-me, minha Vovó Rita,
Não me deixe ficar sozinho.

189-VOVÓ RITA DA GUINÉ

Preta Velha chegou aqui,
Preta Velha chegou no Terreiro,
Vovó Rita da Guiné,
Pra demandar com feiticeiro.
Ela tem sua mandinga forte,
E seu patuá.
Quando chega na Umbanda,
Vem na fé de Oxalá.

190-VOVÓ RITA DA GUINÉ

Vem de longe mesmo,
Caminhando sem parar.
Vovó Rita da Guiné,
Vem salvar o seu gongá.

191-VELHO FABRÍCIO

Ai, meu Deus do céu,
Tenha pena de mim. (bis)
Eu quero viver lá no céu,
Com a proteção
Do meu Senhor do Bonfim.

192- VELHO FABRÍCIO

Eu adorei as Almas,
De Velho Fabrício,
Eu adorei as Almas,
Da sua Quimbanda,
Eu adorei as Almas,
No dia de hoje,
Eu adorei as Almas.

193-SUBIDA

Pretos Velhos vão embora,
Vão na fé de Oxalá,
Se firmar seu pensamento,
Todo mal irão levar.

194-SUBIDA

Lá na Aruanda,
Onde canta a Juriti,…
Pretos Velhos vão embora,
Deixam seus “cavalos” aqui.

195-SUBIDA

Chuva vem,
Cadê seu chapéu…(bis)
A estrada é longa,
Eles vão devagarinho…(bis)

196-SUBIDA

Eles vivem no meio das flores,
Olhando o céu,
Beirando o mar…(bis)
Eles são Pretos Velhos de Umbanda,
Que vão pra Aruanda,
Para trabalhar. (bis)

197-SUBIDA

Adeus Umbanda,
Pretos Velhos vão embora. (bis)
Adeus Umbanda,
Fiquem com Deus,
Abênção Nossa Senhora. (bis)

198-PONTO DE QUIROMBÓ

Ae, Quirombó, reré,
Ae, Quirombó, rerá,
Ae, Quirombó, reré,
Ae, Quirombó rerá,
……………………………
Ae, Quirombó, reré,
Papai de Quirombó, reré,
Mamãe, de Quirombó, rerá. (bis)

199-PONTO DOS ANJINHOS
(Falanges de Pretos)

Quem vem, de lá de tão longe…
São os anjinhos que vêm trabalhar… (bis)
Ó dai-me forças pelo amor de Deus,
Meu pai. 
Ó dai-me forças aos trabalhos meus.
(bis)

200-POVO DA BAHIA

Ai meu Senhor do Bonfim,
Valei-me São Salvador,
Vamos saravá minha gente,
Povo da Bahia chegou.

Cadê a sua pemba,
Cadê a sua guia.
Sua terra é muito longe,
Seu gongá é na Bahia.

201-POVO DA BAHIA

Ó salve os Santos da Bahia,
Ó salve a mesa de Xangô!
Junto com seu patuá,
Não há mesa da Bahia,
Que não tenha vatapá.
Não há santo bem seguro,
Que não tenha patuá.

202-PAI JOBIM (PV DA BAHIA)

Santa Rita me valha!
Meu Senhor do Bonfim!
Chegou Povo Baiano,
No Terreiro de Umbanda,
Baixou Pai Jobim.

203-BAIANAS

Sou baiana de Miçanga,
Samba aqui, samba acolá,
Eh, eh, ah, ah.
Se tu és filha de mesa,
Minha nêga!
Ninguém pode te levar! (bis)
Se tu és filha de mesa,
Eh, eh, ah, ah.
Deixa ver a tua guia minha filha!
Deixa ver o teu gongá! (bis)
Quem bolir no meu gongá,
Samba aqui, samba acolá,
Eh, eh, ah, ah.
Meu colar é de Miçanga,
Minha filha!
Minha guia é de Oxalá! (bis)

204-TIA MARIA DA SERRA

Ela se chama Maria da Serra!…
Ela não desceu do Céu sem Umbanda…
Sem a sua Munganga de Guerra!
Ela não desceu do Céu sem Umbanda…
Ela se chama Maria da Serra!…
Ela é Maria em todo lugar!…
Ela é Maria no alto do Céu!…
Ela é Maria no fundo do mar!…

205-TIA MARIA DE MINAS

Venho de longe,
Venho de Minas,
Samba lelê.
Maxicorê.
Minha sete zincambono…
Minha sete zimicamba…
Samba lelê.
Maxicorê.

206-TIA MARIA DE MINAS

É vem chegando,
É vem chegando,
É feiticeira,
É vem chegando Maria Mineira.

207-TIA MARIA

O galo cantou lá na Aruanda,
O dia já amanhecia.
As almas me avisavam,
Que na banda,
Tia Maria chegaria.

Tia Maria,
A boa velha não despreza,
Quem lhe estima.
Tia Maria,
A boa velha,
Sempre trouxe alegria.

208-PONTO DE KURIANTÉ

Ora canga boi inê,
Ora canga boi iná.
Ora canga boi tetê,
Ora canga boi tatá.
Santo Antônio é que canga boi…
São Benedito é que vai carriá!

209-PAI JOSÉ DE ANGOLA

Quem quiser ver, que veja auê.
Quem quiser ver, que veja auá.
Ele é preto feiticeiro.
Ele chegou pra trabaiá.
Ele é filho de Angola,
O seu pai é da Guiné,
Sua mãe é de Carangola,
Ele se chama Pai José.

210-PAI JOSÉ DE ARUANDA

Salve Deus,
E os Pretos Velhos de Aruanda.
Pai José chegou,
No Terreiro de Umbanda.

211-TIO ANTÕNIO

Dá licença Tio Antônio,
Eu vim te visitar;
Eu estou muito doente,
Vim pra você me curar.

Se a doença for feitiço,
Curará em seu gongá.
Se a doença for de Deus,
Ai… Tio Antônio vai curá.

Preto Velho rezadô,
Foi parar na detenção,
Ai… por não ter um defensô,
Tio Antônio é Quimbanda curadô. (bis)
É Pai de mesa, é rezadô. (bis)

212-REI CONGO

O meu Pai é Rei de Congo!…
Eu já mandei…
Eu já mandei chamar!… (bis)
Eu já mandei salvar toda Aruanda,
Saravá Povo de Congo,
Em qualquer lugar!… (bis)

213-PAI JOSÉ DA PRAIA

Pai José, vem cá, vem cá,
Pai José vem trabalhar,
Pai José, vem descarregar,
Vem levar todo o mal,
Para o fundo do mar.

214-PAI JOAQUIM DE MINAS

Na ladeira de pilá é tombadô,
Bota fogo ni sapê,
Para nasce fulô.

215-PAI JERÔNIMO E MESTRE LUIZ

Pai Jerônimo chegou, ou…
Pai Jerônimo saravou,
Pai Jerônimo baixou.
Pra levar todos zi mali,
De suas zi fios, em sua gongá,
Pro zi fundo di má.
Ê, ô.

216-TIA CHICA DA GUINÉ

Saravá todos os caboclos,
E os manos pretos-velhos,
Saravá todas as Bandas,
Na gira de Guiné…
Tia Chica vem chegando,
Vem chegando de Aruanda,
Trazendo sua arucanga,
Pra firmar com toda fé.

217-PAI CAETANO DE ANGOLA

Pai Caetano lá de Angola,
Quando baixa no Congá,
Trazi floris ni sacola,
Pra zio fio zinfeitá.

218-PAI VELHO

Zunguê, zunguô, zá,
Pai Velho, Rei Cit,
Pedra Preta vai chegá.
Zunguê, Zumbi, Zambi du duá.
Pai Velho, Rei Cit,
Pedro Preta vai baixá.

219-PRETO VELHO

Preto chegou no reino,
Olha, preto já chegou.
Preto é filho de pemba,
Nosso Senhor é quem mandou. (bis)

220-PAI JOBÁ

Hoje é noite de alegria,
E o galinho já cantou.
Trazia fita nos pés,
E a cruzinha do Senhor.
É de Congo, é de Congo, é de Congo.
No Terreiro de umbanda,
No Terreiro de Umbanda,
A proteção de Deus baixou.

221-PAI GUINÉ

Zunguiné, Zunguiné,
Ora Pai de Guiné. (bis)
Zunguiné veio ajudar,
Ora Pai de Guiné.
Zunguiné veio trabalhar,
Ora Pai de Guiné.
222-JOÃO BARANDI

O Rei Talami,
João Barandi.
Quem matou embaí,
O Rei Talami.
Oxóssi na mata ele é,
João Barandi.
O Talami, o Talami,
Jacussara, maleme.

223-PAI AGÔLO-ZULU

Papai ó catiporé,
Na calunga,
Catiporá.
Gira na Aruanda,
Gira, gira no gongá.

224-TIA MARIA

Tem vintém mamãezinha?…
Não tem não,
Minas cafio.

Olha Tia Maria,
Como vai gingando.
Olha Tia Maria,
Como vem sambando.

225-TIA ROSA DA BAHIA

Minha agulha, minha didá,
Quem não tem agulha,
Pra que qué didá. (bis)
Minha ponto é seguro,
É no fundo do má.
Minha ponto é seguro,
Mamãe Iemanjá.
Minha ponto é seguro,
É no fundo do má.
Minha ponto é seguro,
Meu Pai Oxalá.

226-PAI TIBIRIÇÁ

Venho de Aruanda,
Da Aruanda do além mar…
Rei Preto seus filhos chama,
Na Umbanda, no “gongá”.

Taleime, minha Taleime,
Pai Preto seus filhos chama,
Preto-Velho Tibiriçá…

227-PONTO DE MEIA-NOITE
(Proteção)

Já é meia-noite,
O galo cantou.
Quando o galo canta,
Ó, gente!
A Aruanda andou…
Quando o galo canta,
Ó, gente!
A proteção de Deus baixou.

228-CHAMADA GERAL/TODAS AS BANDAS/Umbanda Omolocô

Acorda, acorda,
Quem tá dormindo, acorda (bis)

Tava dormindo, na porteira do gongá,
Tava dormindo, na porteira do gongá.
Quem tem inimigo não dorme,
Levanta vem trabalhar.

Acorda moleque, vem curimbá,
Vem tirar ponto pra Ogum e Oxalá.(bis)

Meu São Miguel, segura seu cangilá,
Quem tem inimigo não dorme,
Levanta pra vigiá. (bis)

229-JOÃO BATUÊ

É João Batuê, ê…
É João Batuê, é di mironga.
É João Batuê, ê…
Casacarânga, é João Batuê,
É di mironga.

230-JOÃO BANGULÊ

João Bangulê, lê, lê…
João Bangulê, lê, lê…
João Bangulê, tatá di Umbanda,
Tá di Quimbanda.

231-PONTO DOS ZULUS

Coziribambo é de Bangulê,
Coziribambo é de Bangulá,
Coziribambo, uriqui di bambo ôi,
Coziribambo, oriqui bambá.
Coziribambo, é de Bangulê é,
Coziribambo, oriqui bambá.
Coziribambo, uriqui di bambo ôi,
Coziribambo, di curimbambá.

232-TIA MARIA DE PAI BENEDITO

Sá Maria vai no Terreiro…
Com saia de merinô!
No Terreiro de Pai Benedito,
Eu vai sambá, eu vai sambá!

233-QUEIMAR PÓLVORA
(Pretos-Velhos)

Só queima fogo é quem pode queimá,
Meu ponto é seguro, não deve faiá.
Só manda fogo é quem pode mandá,
Meu ponto é seguro, meu Pai é Oxalá.

234-VOVÓ LUÍZA

Vovó Luíza que chora mironga,
Chora mironga de Pai Benguelá.
Vovó Luíza que chora mironga,
Chora mironga de Pai Benguelá.

235-PONTO DE CACOMBINA

Cacombina você vem de lá…
Eu vim salvar o Rei Congo,
Ora passa pro lado de cá,
Eu vim salvar filhos de Umbanda.

236-VOVÓ DE GANGA

Chega vovó, chega vovó,
Chega vovó, é de ganga maió.
Só tem saia, só tem saia,
Só tem saia, mas não tem palitó.

237-POVO DE TURUMBAMBA

Turumbamba na Mesa de Umbanda, auê,
Turumbamba na Mesa de Umbanda.
Chegou minha povo,
Que veio trabaiá na Mesa de Umbanda.

238-PONTO DE QUIROMBÔ

Papai olha, ó Quirombô, gira.
Samba ele, ó Quirombô.
Samba ele, ó Quirombô.
Olha o Quirombô, gira.

239-C GERAL – P VELHO

Tamboreiro rufa, rufa, seus tambores,
Rufa, rufa, sem parar…
Pretos-Velhos vem descendo de Aruanda,
Vem trazendo Umbanda,
Pra salvar filho de fé.
Pretos-Velhos quando estão catando,
Eles estão rezando pro Pai Oxalá,
E o seu canto é uma oração,
Pedindo a proteção ao Pai Oxalá. (bis)

240-POVO DE CONGO

Povo de Congo, é povo valente…
Seu Rei de Congo já chegou…
Ele veio lá de Aruanda…
Com toda sua Banda…
Congo é gira de Congo ê.
Congo é sansaravai, Congo ê,
Gira de Congo ê.
Congo ê, sansaravai, ê!
Gira de Congo ê.
Congo ê, sansaravai, ê!

241-POVO DE CONGO

Virá, Congo, ó violé.
Teré, teré, teré, Congo.
Congo vem chegando olé.
Teré, teré, teré, Congo.

242-POVO DE CONGO

Nós que somos pretos,
Rei Congo não se dá.
Olha o Rei de Congo,
Ora, vamos Saravá
Aruê, aruê, aruê, aruá.
Olha o Rei de Congo,
Ora, vamos Saravá.

243-POVO DE CONGO

Arriou na linha de Congo,
É de Congo, é de Congo aruê.
Arriou na linha de Congo,
Agora é que eu quero vê.

244-CONGO DE CARANGOLA

Pinto piou lá na Angola…
Galo cantou na Calunga…
Salve Congo que vem de Carangola,
Trazendo presente na sua sacola.

245-CONGO MUJONGO

Congo Mujongo maravilha,
É quem manda aruê saravá.
Ora Congo mandou chamá,
É quem manda aruê saravá.

246-PEMBA DE ANGOLA

Vamos comer pemba, meus irmãos.
Vamos comer pemba, meus irmãos.
Pemba de Angola mandou me chamá;
Se não fosse a pemba eu não vinha cá.

247-PONTO DE GERERÊ
( Rei de Ganga )

Gererê, oh Gererê, Gererê,
Tá na Ronda, o Gererê.
Gererê Rei di Nagô,
Rei de Quimbanda, no reino chegô.

248-CAMBINDA DE GUINÉ

O Cambinda de Guiné,
Teu pai é Ganga !
O Cambinda de Guiné,
Teu pai é Ganga !

249-VOVÓ CAMBINDA

Vovó Cambinda tem sua guia,
Trabalha de noite e reza de dia.
Vovó Cambinda quer encruzá,
Ponto de pe
Anúncios
Publicado em: Sem categoria

Comente se for um comentário instrutivo ...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s